Fábio Trad defende ação contra carência de informação de jovens e adolescentes

Notícias

09/08/2010
Fábio Trad:
Fábio Trad: "A sociedade é una e todos devem se unir para a melhoria de todos"

"Existe uma carência absoluta por parte de muitos de nossos jovens, que vai desde a falta de estrutura familiar até a ausência de perspectiva futura de vida e de trabalho", justifica. Esse problema foi constatado quando Fábio Trad presidiu a Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS) no recente triênio 2007/2009 através do programa "OAB Vai à Escola", que por sua determinação foi reativado na instituição levando advogados voluntários a fazer palestras em escolas da Capital e do interior do estado.

Na oportunidade, ao constatar "in loco" a realidade vivida pelos jovens e adolescentes, os advogados voluntários e também diretores e professores de escolas chegaram a propor temas como respeito ao próximo, auto-estima, sexo seguro, aborto, drogas etc. "A sexualidade desses jovens é super-precoce, mas a informação é zero. Casos de meninas grávidas com 11 anos são banais - as vezes do pai ou do padrasto. Também são banais estupros cometidos dentro do colégio, nos banheiros, pelos próprios alunos", explicava, na época, a advogada Mônica Reis, de Aquidauana, coordenadora do programa no interior. Com a falta estrutura familiar aumentava os problemas de prostituição, gangues etc. "Os jovens pobres são carentes de tudo e a informação está, não digno no último lugar, mas próximo a ele, na lista de prioridades para uma vida digna", alertava a advogada, na ocasião.

Assim como fez na OAB-MS, para Fábio Trad defende projetos no sentido de incentivar não apenas o poder público, mas a sociedade civil organizada em geral, a atuar mais diretamente na orientação desses jovens, contribuindo de forma mais eficaz e direta para a melhoria de qualidade de vida da população.

"Apesar da divisão de classes, a sociedade é uma só e o problema das pessoas mais carentes, queiram ou não, é de todos nós. Não basta apenas lamentar os índices de criminalidades e de outros problemas em nossas cidades, no estado ou em todo o país. É preciso agir. Na Câmara dos Deputados pretendo propor projetos que propiciem condições para que o poder público tome iniciativas neste sentido e estimule cidadãos dos mais diversos segmentos a agir. Médicos, advogados, psicólogos, sociólogos e outros profissionais, enfim, todos os que queiram contribuir, poderão transmitir informações importantes às nossas crianças e jovens, que tanto necessitam", afirma Fábio Trad.