"Relatório do Pacote Anticrime conseguiu a proeza de convergir Lula e Moro", diz Fábio Trad

Notícias

11/12/2019
Em discurso, deputado também celebrou aprovação do texto, por unanimidade, pela CCJ do Senado (foto: Cláudio Basílio)
Em discurso, deputado também celebrou aprovação do texto, por unanimidade, pela CCJ do Senado (foto: Cláudio Basílio)

Segundo parlamentar, concordância de extremos aponta para o bom trabalho desempenhado pela equipe, que realizou as alterações no pacote anticrime de forma técnica, constitucional e imparcial

Assessoria

 

“Quando se faz uma empreitada legislativa pensando no Brasil e não nas contingências do poder, até os opostos convergem”. Assim o deputado federal Fábio Trad (PSD/MS) iniciou seu discurso no alto da tribuna do plenário da Câmara, poucos minutos após receber a informação de que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovara, na íntegra, o relatório do Pacote Anticrime, dos ministros Alexandre de Moraes e Sérgio Moro.

As alterações no texto-base, resultado de 200 dias de atuação do Grupo de Trabalho do qual o deputado Fábio Trad faz parte, já haviam sido aprovadas por 408 votos a favor (somente 9 contra) no plenário da Câmara na última quarta-feira (4). No dia seguinte, o Ministro da Justiça, Sérgio Moro, classificou como “uma grande vitória” a aprovação do projeto anticrime, enquanto o ex-presidente Lula, em suas redes sociais, nominou o fato de “vitória parcial”.  

“Para minha grata surpresa, observo um paradoxo político de intensidade ímpar: Lula e Moro elogiam o resultado do nosso trabalho. Tão antagônicos politicamente entre si, convergem na constatação de que a atuação do Grupo de Trabalho que analisou o pacote anticrime foi escrupuloso tecnicamente, expurgou extravagâncias jurídicas, eliminou abusos de direito e constitucionalizou os projetos”, destacou o parlamentar, que foi um dos destaques do colegiado.

Em seu pronunciamento, o deputado elogiou as atuações individuais da presidente do grupo de trabalho, a deputada Margarete Coelho (PP/PI) e o relator do pacote, Lafayette de Andrada (Republicanos/MG), que exerceu papel de destaque para que 80% das sugestões dos ministros fossem mantidas. Por fim, o parlamentar fez questão de destacar a importância da Câmara no êxito da missão.

“Esta Casa liderou esta jornada com extrema competência, pensando nos altos valores do Brasil, por isso deve ser reconhecida perante a opinião pública como uma casa legislativa ciosa de suas responsabilidades, que não se deixou influenciar ao longo deste caminho pelas manifestações odiosas ou virulentas de segmentos da opinião pública que queriam, através do pacote, implantar o estado de terror policial e jurídico no País”.