Novo estudo classifica Fábio Trad como um dos líderes do Congresso Nacional

Notícias

22/10/2019
Em 2019, deputado figurou entre os
Em 2019, deputado figurou entre os "100 Cabeças" do Diap; os "10 melhores deputados" do Congresso em Foco e entre os 30 líderes informais da "Elite Parlamentar", da Arko Advice (Foto: Cláudio Basílio)

Denominado "Elite Parlamentar", o estudo, divulgado hoje, qualifica o deputado como uma das 30 lideranças "informais" da Casa e “especialista”, parlamentar atuante e com capacitação específica para debates técnicos.

Daniel Machado, Assessoria de Comunicação

 

Trinta dias após ser eleito top-ten do Congresso em Foco, Fábio Trad novamente foi apontado como um dos deputados que integram a elite do legislativo e influenciam as decisões do Executivo e deixam sua marca no processo deliberativo do Congresso Nacional em 2019.

De acordo com a Arko Advice, empresa com 37 anos de experiência de análise política, Fábio Trad integra a "Elite Parlamentar", seleta lista de 30 deputados considerados “lideranças informais”, ou seja, que não estão previstas na estrutura de poder formal do Congresso Nacional. Em outras palavras, parlamentares que possuem qualificações pessoais ou decorrentes da representação de interesses de outros líderes políticos, grupos de pressão, bancadas de interesse ou, ainda, de outras expressões de poder da sociedade.

Único deputado do Mato Grosso do Sul entre os 30 citados, Fábio Trad é classificado pelo estudo como “especialista”, que possui qualificação específica para debater temas tais como assuntos jurídicos, infraestrutura, economia, entre outros. São conhecidos, na tipologia empregada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), como formuladores.

Ao todo, somando também as lideranças chamadas “formais”, a Elite Parlamentar é formada por 110 parlamentares, sendo 74 deputados federais e 36 senadores.

Trabalho de excelência –  Em 2019 o deputado federal Fábio Trad tornou-se o deputado sul-mato-grossense mais premiado da história, com dez reconhecimentos de quatro diferentes empresas e organizações.

Já em seu primeiro mandato (2011-2015) foi destaque na categoria especial “Parlamentares de Futuro” do Prêmio Congresso em Foco de 2012, ficando entre os cinco deputados com até 45 anos mais bem votados pelos internautas. Em 2018, Trad novamente figuraria entre os primeiros, desta vez na categoria especial “Defesa da Advocacia Pública”.

Em 2019 Fábio Trad recebeu dois prêmios do Congresso em Foco: “Valorização dos Bancos Públicos” e “Melhores Deputados Federais”, ficando entre os dez melhores deputados do Brasil, segundo júri especializado.

Outra instituição que periodicamente reconhece a atuação parlamentar de Fábio Trad desde seu primeiro mandato é o Diap. Constituída por quase mil entidades sindicais de trabalhadores de todos os estados do País, há 26 anos a instituição mapeia, a partir de critérios objetivos, os deputados e senadores que conduzem o processo decisório no Poder Legislativo. São os “100 Cabeças” que, segundo o Diap, detém mais habilidade para elaborar, interpretar, debater ou dominar regras e normas do processo decisório e político.

Em 2019, pela terceira vez (segunda seguida), o deputado Fábio Trad constou entre os 100 mais influentes do Congresso. Em sua primeira legislatura, em 2013, já figurava na lista dos “parlamentares em ascensão”, ou seja, aqueles com trajetória ascendente e que poderiam em breve fazer parte da elite do Poder Legislativo. Com destaque na mídia, em 2014 ele estreou na lista dos “100 mais” do Diap após entregar o novo Código de Processo Civil – sancionado no ano seguinte pela presidente Dilma Rousseff – presidindo por quase três anos a comissão especial na Câmara que debateu e redigiu um texto composto por mais de mil artigos.

O Diap divide os “100 Cabeças” em quatro aptidões, quais sejam a capacidade de articulação, debate, negociação e de formulação.  Entre os deputados mais influentes de 2019, somente 7 são formuladores, virtude considerada a mais rara do parlamento. Novamente, a exemplo de 2018, Trad foi apontado pelo Diap como um dos “formuladores”, os mais produtivos e, via de regra, “dotados de saber, qualidade intelectual e especialização”.  

No ranqueamento do portal Políticos.Org, Fábio Trad encerrou 2018 com a maior pontuação entre os 594 representantes do Congresso Nacional (somados aí os 513 deputados e 81 senadores). Foram 143 pontos, um a mais que o segundo colocado, Eduardo Barbosa (PSDB-MG), com 142; e a senadora Ana Amélia (PP-RS), com 119.

“Ele teve atuação exemplar, tanto nos votos como nos pronunciamentos e, além dos critérios analisados no ranking, sempre mostrou-se muito coerente nos seus posicionamentos e pronunciamentos na tribuna. Esperamos que sirva de exemplo tanto aos (deputados) que estão entrando no Congresso como aos que vão continuar”, disse o diretor executivo do Ranking de Políticos, Renato Dias.  

O portal Políticos.Org considera cinco critérios para a pontuação dos parlamentares, como a presença nas sessões e reuniões de comissão; nível de utilização de privilégios do cargo, como verba indenizatória; qualidade legislativa; processos judiciais; e formação universitária.

Pesou a seu favor também o fato de ser ficha limpa e não responder a nenhum processo judicial, além de apresentar um gasto de verba indenizatória abaixo da média geral dos demais parlamentares e abrir mão de privilégios inerentes ao cargo, como aposentadoria especial, apartamento funcional, carro oficial e auxílio-mudança.

Presença - Entre os 7% do Brasil – e único de Mato Grosso do Sul – com assiduidade máxima na Casa, o parlamentar esteve presente em todas as 64 sessões ordinárias e extraordinárias realizadas em 2018 no plenário da Câmara. Somente em 2019 já foram 86 sessões, nas quais Fábio Trad esteve em 100% das ocasiões. Nas 96 reuniões das comissões, 95 presenças.

Neste ano também foi um dos parlamentares que mais marcaram posição no plenário da Câmara sobre assuntos que mexem com a vida de milhões de brasileiros e brasileiras. Utilizou 73 vezes os microfones nas sessões, quase o triplo dos demais parlamentares do Mato Grosso do Sul somados (25). Nas comissões, fez 29 pronunciamentos, metade de toda a bancada sul-mato-grossense (somada).