Primeira Frente Parlamentar em Defesa dos Condutores de Ambulância será comandada por Fábio Trad

Notícias

26/09/2019
Lideranças dos condutores de ambulância reúnem-se com o deputado Fábio Trad em Brasília (Foto: divulgação)
Lideranças dos condutores de ambulância reúnem-se com o deputado Fábio Trad em Brasília (Foto: divulgação)
Lideranças reuniram mais de 180 assinaturas de parlamentares, mínimo necessário para a instalação da frente, afim de “moralizar o serviço de ambulância no Brasil”.
 
Daniel Machado, Assessoria
 

Diariamente eles irrompem em meio ao tráfego das cidades, em alta velocidade e constante estresse, correndo risco e trabalhando na fronteira entre a vida e a morte e em contato permanente com agentes patológicos, como bactérias e sangue contaminado. Em regime de plantão e alta disponibilidade, trabalham 24 horas por dia, sete dias por semana e no ano inteiro.
 
Segundo estimativa do Ministério do Trabalho, eles totalizam mais de 1 milhão e 100 mil em todo o país. São os condutores de ambulância, invariavelmente notados apenas quando a sirene e as luzes giratórias dos veículos são acionadas.
 
Apesar de sua quantidade e importância, a categoria existe “legalmente” há apenas cinco anos, quando foi reconhecida como profissão por meio da Lei 12.998/14. Até então, não podia sequer organizar-se em sindicatos para lutar por seus direitos.
 
Um importante capítulo dessa história, no entanto, foi escrito nesta quarta-feira (25) no Congresso Nacional. Graças à mobilização de representantes da Associação Brasileira dos Condutores de Ambulância (ABRAMCA) e demais lideranças da categoria, um total de 198 assinaturas de parlamentares foram coletadas ao longo do dia para a instalação da primeira Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Serviços de Ambulância. O mínimo necessário é um 180 ou um terço de cada casa (Câmara e Senado).
 
“Agora a representatividade dos condutores de ambulância já tem um espaço cativo no parlamento brasileiro e é um orgulho estar aqui advogando esta causa do Mato Grosso do Sul e de todo o Brasil”, disse o deputado Fábio Trad, escolhido pelas lideranças como o principal representante da categoria no congresso e, portanto, o coordenador da nova frente parlamentar.
 
De acordo com o presidente da ABRAMCA, Alex Douglas, Trad tornou-se uma espécie de “padrinho” da categoria, daí a escolha por seu nome no comando da frente. Segundo ele, não apenas por ser o deputado autor do PL 929/19, que estabelece jornada semanal de 30 horas para os condutores de ambulância e que atualmente tramita na Câmara, mas por outros motivos.
 
“O deputado Fábio Trad é sempre solícito conosco, sempre abrindo as portas do gabinete e tornou-se o braço dos condutores do Brasil no Congresso Nacional”, disse.
 
O principal desafio da Frente Parlamentar, segundo ele, que já foi registrada nesta quinta-feira (26) e será instalada em novembro, será transformar a Portaria 2048 em Lei afim de conferir mais segurança jurídica à categoria.
 
“É preciso moralizar o serviço de ambulância no Brasil! Condutores não podem mais fazer plantão de domingo a domingo, num regime de trabalho análogo ao escravo. Precisam ter suporte sanitário, carga horária definida, adicional de insalubridade, tratamento psicológico, aposentadoria especial, enfim, melhores condições de trabalho”, afirmou o líder trabalhista, que lembrou que condutor de ambulância qualificado e motivado representa a saúde e o prolongamento da vida do cidadão.