Fábio Trad classifica como intrigante silêncio de Temer diante de manifestação do General Villas Boas

Notícias

04/04/2018
Para ele, silêncio da mais alta autoridade do Executivo Federal insinua múltiplas interpretações
Para ele, silêncio da mais alta autoridade do Executivo Federal insinua múltiplas interpretações
Parlamentar criticou omissão da mais alta autoridade do Executivo Federal diante de uma mensagem que insinua temerosas interpretações
 

Um dia após publicação no Twitter, os polêmicos comentários do comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Boas sobre o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula, continuam repercutindo em todo o País.
 
Nesta terça-feira (4) o deputado federal Fábio Trad (PSD-MS) subiu à tribuna para criticar o teor de interpretação duvidosa do tuíte, em que o general adverte que o Exército Brasileiro se “mantém atento às suas missões institucionais”, e disse que tal manifestação não colabora com as prerrogativas do Presidente Michel Temer de pacificar o País, evitando tensões desnecessárias
 
No entanto, e justamente por este motivo, o principal alvo da fala do deputado foi o Palácio do Planalto. “O silêncio da mais alta autoridade do Executivo Federal é intrigante porque insinua múltiplas interpretações”, advertiu.
 
Em contrapartida, elogiou a postura do Comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, que afirmou em nota à imprensa que “os militares não devem impor sua vontade à Nação” e fez um chamado “ao cumprimento fiel da Constituição”.
 
O parlamentar ainda fez um apelo contra a discussão simplista que polariza as correntes pró e contra Lula e pediu a união de todos os congressistas em torno de um debate maior que envolve a legitimação do Estado de Direito, o que ele chamou de “cinturão em torno da democracia e dos valores republicanos”.
 
“Em face da grave ameaça que o radicalismo sectário representa a tudo o que construímos desde 1988, chegou o momento desta Casa mostrar que está à altura de sua história, equacionando eventuais impasses políticos e institucionais, contando apenas e tão somente com os recursos políticos previstos na Carta Magna, cuja base radica-se no direito e na democracia”.
 
Relembre –  No tuíte publicado pelo General Villas Boas nesta terça-feira (3) ele diz, em nome do Exército Brasileiro, “compartilhar o anseio dos cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à constituição, paz social e Democracia”, e alega também que a instituição “se mantém atenta às suas missões institucionais”.
 
O comentário foi muito criticado em todo o País por deixar margens interpretativas à intervenção militar.