Para Fábio Trad, Aquário do Pantanal vai reforçar turismo em Campo Grande

Notícias

18/05/2011
O pavilhão central contará com exposições temporárias e mecanismos de interatividade com os visitantes.
O pavilhão central contará com exposições temporárias e mecanismos de interatividade com os visitantes.

O deputado federal Fábio Trad (PMDB – MS) usou a tribuna nesta terça-feira, 17, para destacar a iniciativa do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul de instalar em Campo Grande o maior aquário de água doce do mundo, o Centro de Pesquisa e Reabilitação da Ictiofauna (Cepric) – Aquário do Pantanal. O início do projeto deve ser anunciado na próxima segunda-feira, 23, pelo governador André Puccinelli (PMDB – MS).

“Trata-se de uma iniciativa de visão, que vai trazer mais um atrativo de peso para a capital do nosso estado, valorizando o turismo por meio da exaltação do meio ambiente, um dos nossos mais valiosos patrimônios. Portanto, é um plus nos turismo da capital e do estado”, afirmou Fábio.

Com 17 mil m² o Aquário do Pantanal deve incentivar o desenvolvimento de projetos de pesquisa e diálogos com universidades nacionais e internacionais, educação ambiental e ainda funcionar como um espaço de turismo e lazer para a população. “Como Campo Grande é a porta de entrada para o Pantanal e tanto turistas, como pesquisadores, poderão ter lições contemplativas antes de ir ao ambiente pantaneiro, preservando assim nossa fauna e flora”, afirmou o prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho.

O Aquário

O pavilhão central contará com exposições temporárias e mecanismos de interatividade com os visitantes. De cada lado serão instalados uma biblioteca especializada em biodiversidade de água-doce e um auditório de convenções. Ao todo serão construídos 16 grandes aquários para a demonstração de diversas espécies em circuito de visitação, além de outros 5 aquários a serem instalados na área externa. Juntos, todos os aquários deverão receber 4.275.000 litros de água, sete mil animais em exposições e mais de 200 espécies diferentes, entre peixes, mamíferos e invertebrados.

Cada aquário funcionará como um tanque temático de alguma região aquática encontrada em Mato Grosso do Sul. O maior será o do Rio Paraguai, com capacidade total de 1.480 m³ e túnel de acrílico em formato cilíndrico. Um tanque de observação com 390 m³ deverá reproduzir a fauna de Bonito, com possibilidade para mergulhos. Haverá ainda tanques que retratarão o Rio Miranda (Pantanal Sul), Rio Piquiri (Pantanal Norte), corixos, banhados (brejos) e terras alagadas, além de viveiros de ariranhas, piranhas e sucuris.

Também será demonstrada a biodiversidade do Brasil com reproduções de manguezais, mar costeiro e bacia e ornamentais amazônicas. No fundo do palco do auditório central será instalado um grande aquário para contemplação de aproximadamente 105 m³. Por todo o Aquário do Pantanal haverá painéis eco-informativos e maquetes ilustrando o Pantanal, seu ecossistema e identificação das espécies. O Cepric vai contar com lojas e cafés que, junto com a cobrança de ingressos para visitas, deverão garantir sua sustentabilidade.